Sistema Maxi de Ensino Edição nº 47 Novembro de 2010
Capa Índice Sugestões Edições Anteriores Grupo Maxi
Dia a Dia
Pré - Vestibular
Editorial
Expediente
Maxi Londrina
Maxi Cuiabá
Comportamento
Fala Jovem
Infantil e Fundamental I
Festival Cultural
Fundamental II
Ensino Médio
Hora do Intervalo - Londrina
Hora do Intervalo - Cuiabá
Dicas
Maxi Cidadão
Aconteceu no Maxi - Londrina
Aconteceu no Maxi - Cuiabá
Opinião
Índice
Capa Pequena
Pré - Vestibular  
 
Vestibular de Julho: alunos do Maxi vencem alta concorrência
A Universidade Estadual de Maringá é uma das poucas instituições de ensino superior público que manteve o vestibular de julho.

Os alunos do Colégio Maxi Londrina se destacaram no vestibular de julho/2010 da Universidade Estadual de Maringá (UEM), conquistando dois primeiros lugares – Odontologia, com Anna Paula Gonçalves Olivieri; e Ciência da Computação, com Caroline Peres da Silva –, além da boa classificação nos demais cursos, incluindo Medicina – onde obteve cinco aprovações.


 
null

Segundo a coordenadora do Ensino Médio, Cássia Gimenes Barcaro, o vestibular da UEM é um bom comparativo do potencial dos alunos do Maxi: "Por ser um processo seletivo feito no meio do ano, a concorrência torna-se muito grande. Poucas instituições oferecem vestibular em julho. Além do número de vagas ser bem menor".

Das 20 vagas de Medicina ofertadas pela UEM, em que concorreram candidatos de todo o Brasil, o Colégio Maxi Londrina conquistou cinco, com os alunos Camila Yuri Antoniassi Endo, Fabio Montagna Sekiyama, João Felipe Rossival Preto, Paulo Makoto Furuta Peternelli e William Augusto da Fonseca. Os classificados superaram uma concorrência de 267 candidatos por vaga.

SABOR DA VITÓRIA – Para a aluna do Maxi Londrina, Anna Paula Gonçalves Olivieri, 18 anos, primeiro lugar em Odontologia na UEM, o resultado foi um incentivo para seus projetos futuros: "Meu sonho é fazer Medicina, no final do ano. Mas fiz minha inscrição para a UEM, em julho, com o objetivo de conseguir uma boa classificação. Ao saber que fiquei em primeiro, chorei de emoção. Também passei na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) para o mesmo curso. Essas conquistas me deram ainda mais ânimo para prestar Medicina no final do ano".


 

Sobre o Colégio Maxi, Anna Paula fala com entusiasmo: "O que mais gosto são os professores. Eles são 100%. Tenho alegria de ir para a escola. O conteúdo é passado de forma coesa e sempre muito bem explicado. Aprendi a não desistir daquilo que quero. Os professores estão sempre incentivando os alunos e mostrando que mesmo com as dificuldades devemos correr atrás dos nossos objetivos".

A FORÇA DO MAXI – Na avaliação do aluno William Augusto da Fonseca, 18 anos, aprovado em Medicina na UEM, o material e o profissionalismo do Colégio Maxi foram essenciais para a sua formação: "Concretizei um sonho. Escolhi Medicina porque desejo ser instrumento de Deus para ajudar as pessoas que estão a minha volta. E o conhecimento é base para esse meu sonho. Foi no Maxi que aprendi a nunca desistir, nem parar de estudar. Vou levar isso para o resto da minha vida. Uma das melhores coisas que tive no Colégio foi, sem dúvida, os professores, que são muito bons e sempre nos incentivam".

Caroline Peres da Silva, 17 anos, aluna do 3º ano do Ensino Médio e primeiro lugar em Ciência da Computação na UEM, atribui sua classificação ao Colégio: "Faz oito anos que estudo no Maxi. Além da qualidade de ensino, o que temos de melhor aqui é o respeito que existe entre os professores, os alunos e todos que trabalham na escola. O material do Maxi é muito bom e traz muitos exercícios, dos mais diferentes tipos. Um das coisas que me ajudou a passar na UEM foi a experiência que eu já tinha com esse tipo de prova por somatória".

Quanto ao resultado, Caroline fez a prova já confiante no resultado: "Fiz acreditando que fosse passar, mas não achei que ficaria tão bem colocada. Escolhi Ciências da Computação por uma afinidade. Mas vou continuar estudando. Até o final do ano estarei mais segura ainda. Conversei com vários profissionais e acredito que posso me realizar em outros cursos também. No final do ano vou prestar Engenharia Elétrica na UEL, Fuvest, Unicamp e ITA, porque também é uma área com que me identifico e terei muito prazer em trabalhar. Aqui os professores nos ensinam a fazer o que gostamos e fazer bem feito. E o exemplo vem dos próprios professores. Eles gostam de verdade do que fazem e são um exemplo para nós".

UEM – A Universidade Estadual de Maringá, fundada em 1969, oferece atualmente 52 cursos de graduação, 93 de especialização, 28 de mestrado e 12 de doutorado. É a primeira entre as universidades do Paraná, pela avaliação do MEC, com maior produção científica e tecnológica do País: 700 projetos em andamento, 1.100 pesquisadores. Dos professores, 93% trabalham em tempo integral e dedicação exclusiva.

Entre os serviços prestados à comunidade, está o atendimento médico. A UEM realiza mais de 100 tipos de exames laboratoriais, atendendo 130 municípios, e produz medicamentos que são distribuídos aos postos de saúde. O Hospital Universitário está inserido em vários programas de saúde pública no País e é detentor do título de Hospital Amigo da Criança. Além da certificação como Hospital de Ensino, presta atendimento de urgência e emergência à comunidade como hospital público regional. Juntos, HUM, Laboratório de Análises Clínicas, Hemocentro, e Clínicas Odontológica e de Psicologia, atendem mais de 160 mil pessoas anualmente.

Sistema Maxi de Ensino lança novas coleções

A partir de 2011 os alunos dos Cursos Pré-Vestibulares do Colégio Maxi Londrina e Cuiabá terão acesso às novas coleções de material de apoio contendo testes. São quatro volumes com 2 mil questões, envolvendo todas as matérias do Ensino Médio, incluindo Filosofia, Sociologia, História da Arte e Língua Espanhola.

Segundo José Milanez, coordenador pedagógico do Sistema Maxi de Ensino (SME), o material permite uma avaliação dos conhecimentos adquiridos pelos alunos: "Reunimos os testes dos últimos vestibulares das mais conceituadas universidades do Brasil. Trata-se de um material diferenciado, produzido por uma equipe de autores contratados pelo SME exclusivamente para esse material. Foram mais de 12 autores e 12 supervisores, num trabalho intenso, que garantiu a qualidade e a originalidade das coleções".

Na avaliação da coordenadora pedagógica do Ensino Médio, Cássia Gimenez Barcaro, o principal objetivo do material é auxiliar na fixação dos conteúdos: "A partir desses novos testes, o aluno pode fazer uma autoavaliação, eliminando as possíveis dúvidas. É um material com novos estilos de questões, incluindo a proposta do Enem".

Manutenção e Atualização Agência Digital ICOMP®