Sistema Maxi de Ensino Edição nº 41 Novembro de 2007
Capa Índice Sugestões Edições Anteriores Grupo Maxi
Capa Londrina
Maxi Cuiabá
Comportamento
Fala Jovem
Leitura
Festival Cultural
Comunidade Japonesa
Ensino Médio
Inovação
Hora do Intervalo - Londrina
Hora do Intervalo - Cuiabá
Maxi Cultura
Maxi Cidadão
Sistema
Aconteceu no Maxi - Londrina
Aconteceu no Maxi - Cuiabá
Opinião
Índice
Capa Pequena
Maxi Cuiabá  
 
Maxi de Cuiabá realiza com sucesso a Escola de Pais
O programa "Escola de Pais", realizado pelo Maxi, aproxima a família da escola e proporciona um ambiente para debates e reflexão na busca de soluções que favoreçam o desenvolvimento afetivo, emocional e intelectual dos adolescentes e jovens.

 
null

Interessados, atentos, profundos nos questionamentos e sedentos por novas informações que os auxiliem na educação dos filhos. Assim tem sido a platéia de pais e mães das palestras da "Escola de Pais" realizada nos meses de abril, agosto e setembro, no Colégio Maxi de Cuiabá.

A Escola de Pais, oferecida pelo Colégio, trata de temas relevantes a cada faixa etária e fase escolar. Um dos objetivos é aproximar a família da escola, colocando em prática a teoria e mostrando qual o papel dos pais no processo educacional dos filhos. Trata-se de uma ferramenta que ultrapassa os conteúdos pedagógicos, preocupando-se com a formação e o desenvolvimento afetivo e emocional do aluno.
A Escola de Pais é uma oportunidade a mais para a definição de papéis. O que é melhor para a educação da criança ou do adolescente? Quais os valores que a escola e a família pretendem transmitir? Qual o papel de cada uma nessa tarefa? Como escola e pais podem se ajudar?
A Escola de Pais, realizada no primeiro semestre para todas as séries do Ensino Médio e conduzida pelo educador do Maxi Dílson Catarino tratou o tema "A arte de educar com limites, sem medo de errar". Segundo o palestrante, são os limites – pilar da boa educação – que ajudam na formação da estrutura emocional e afetiva e na personalidade da criança: "Um pai que dá limites, de forma coerente e levando em conta a personalidade e o temperamento individual, garante a segurança emocional dos filhos. Uma criança precisa de limites, orientação e presença para se sentir amparada e segura", afirma Dílson.
No mês de agosto foi a vez de a psicóloga e Supervisora Pedagógica do Colégio Maxi de Londrina, Celi Lovato, partilhar com os pais da 3ª série do Ensino Médio do Maxi de Cuiabá os conflitos e as dificuldades enfrentadas às vésperas do vestibular. Com o tema "Meu filho é vestibulando, e agora?", Celi mostra a importância desse momento na vida de um adolescente.
A escolha da instituição de ensino superior, bem como do curso, exige uma reflexão séria e aprofundada. A boa orientação e as informações levarão o educando a optar pelo que mais se aproxima de seus interesses e aptidões. Outra questão relevante nesse momento, segundo a psicóloga, é compreender os sentimentos de medo, de nervosismo e de ansiedade vividos pela maioria dos vestibulandos: "É importante ressaltar que esses alunos são adolescentes e vivem uma época importante do seu desenvolvimento humano, tanto profissional, quanto emocional. Cabe aos pais e à escola cooperar para a diminuição desses momentos de ansiedade e tensão", analisa Celi.
A terceira palestra da Escola de Pais, oferecida pelo Colégio Maxi de Cuiabá foi "A família e o plano estratégico na ação contra as drogas", realizada pelos médicos Luiz Augusto dos Santos e Rodrigo Teixeira Motta. O tema foi dirigido aos pais dos alunos de 1ª e 2ª série do Ensino Médio, no dia 4 de setembro, no auditório do próprio Colégio. A palestra foi uma realização do Maxi em parceria com o Núcleo de Terapia Especializada em Cancerologia (Nutec) de Cuiabá. "Na ocasião, os pais conheceram os efeitos nocivos das drogas e meios de se evitar que os adolescentes e jovens sejam atraídos para o consumo".
Segundo a Coordenadora Pedagógica do Colégio Maxi de Cuiabá, Vera Alice Pexe, o interesse dos pais foi grande, comprovando a importância dos temas abordados: "Em todas as palestras, a participação dos pais foi excelente, mostrando o desejo que eles têm de aprimorar a educação que oferecem aos filhos. Na pesquisa de satisfação aplicada ao final, ficou comprovado a eficácia dos assuntos abordados e a vontade que têm os pais de continuarem participando da Escola de Pais".
Para Vera Alice, a presença dos pais na escola estreita as relações e promove o diálogo, possibilitando um trabalho efetivo na criação de valores necessários para relacionamentos saudáveis: "A escola agrega valor ao seu trabalho pedagógico ao tratar desses assuntos com os pais. São temas pertinentes ao relacionamento familiar, que favorecem a educação dos filhos", explica a coordenadora.

Apoio às Didiculdades

Educar é uma arte que requer esforço e comprometimento. O Maxi, por meio de suas práticas pedagógicas, oferece uma educação completa ao aluno. Quando a escola e a família caminham juntas, a educação se torna mais plena e eficaz.
A Coordenadora Pedagógica do Maxi de Cuiabá ressalta o valor dessa parceira escola e família: "Diariamente, inúmeras situações influenciam a formação de nossas crianças e jovens, como a televisão, a violência, a moda, o consumo e o próprio comportamento dos adultos. As atividades promovidas pela Escola de Pais traçam orientações para os pais, os alunos e os professores, auxiliando nas condutas diárias e favorecendo o desenvolvimento de valores essenciais e urgentes à sociedade de hoje".
Vera Alice lembra que a Escola de Pais é uma ferramenta a mais para a educação: "Pais e mães de adolescentes ou pré-adolescentes têm recorrido a profissionais à procura de respostas e conselhos sobre o que fazer com seus filhos na hora que demonstram dificuldades de relacionamento interpessoal, problemas de adaptação escolar e de aprendizagem. As dificuldades entre pais e filhos existem e, mesmo variando conforme a idade e o momento social, são quase sempre as mesmas".
A Escola de Pais busca, com a participação da família, respostas e meios para a resolução de problemas relacionados ao desenvolvimento afetivo, emocional e intelectual das crianças e adolescentes: "Afinal, é na família que o adolescente desenvolve sua identidade, seu emocional, que aprende a respeitar o outro e a dividir o espaço social. Mesmo com o conflito natural de gerações é preciso manter em casa um relacionamento, não perfeito, mas aberto a exposições de idéias e opiniões distintas para que cada um se conheça melhor. Não há receitas estabelecidas nas relações entre pais e filhos. A convivência, o respeito mútuo e o amor são algumas formas de se estreitar o caminho e de aproximar o jovem dos pais. Palestras proporcionadas pela escola com assuntos que abordam as maiores dificuldades encontradas pelos pais na educação de seus filhos contribuem para a melhoria das relações", conclui Vera Alice.
Manutenção e Atualização Agência Digital ICOMP®